O seu navegador está desatualizado.

O Internet Explorer deixou de ser suportado. Por favor, utilize outro navegador, para uma melhor qualidade do website.

Continuar a melhorar o elevado nível de segurança dos autocarros

out 2020

Busbrand

O autocarro é realmente um dos meios de transporte mais seguros. Avaliando com base no desempenho dos transportes, existem aqui significativamente menos feridos e vítimas mortais em acidentes do que nos veículos ligeiros de passageiros, por exemplo. É igualmente raro que os passageiros sofram ferimentos em caso de incêndios em autocarros, embora estes incêndios ocorram com relativa frequência. “Os principais ferimentos são intoxicações pelo fumo, contusões e cortes. Muitas vezes, os afetados são os condutores, que ficam feridos ao tentarem apagar o incêndio”, afirma o investigador de acidentes da DEKRA Markus Egelhaaf. No que respeita a incêndios com ferimentos pessoais graves, trata-se, na maioria dos casos, de incêndios provocados por acidentes – o incêndio é, portanto, precedido de uma colisão. Nestes casos, existe um especial risco pelo facto de passageiros terem ficado eventualmente feridos devido à colisão, os corredores ficarem bloqueados por bagagens que caíram ou as saídas de emergência já não poderem ser utilizadas. Quando ocorre um incêndio, tal deve-se, frequentemente, a combustível derramado do autocarro ou de um outro veículo envolvido.

Avaliação das bases de dados da DEKRA e de notícias da imprensa internacional

Os investigadores de acidentes da DEKRA estão envolvidos, há anos, em diversos projetos de investigação sobre a segurança dos autocarros, incluindo em relação a incêndios. Inúmeros progressos alcançados – como, por exemplo, através de regulamentações em matéria de saídas de emergência e evacuação ou a instalação obrigatória de sistemas de deteção e alarme de incêndios no compartimento do motor – têm por base estes trabalhos de investigação.

Atualmente, os especialistas da DEKRA avaliaram várias centenas de casos de incêndio da Alemanha, de outros países europeus e dos EUA.

Um dos resultados mais óbvios da avaliação confirma estudos anteriores: a maioria dos incêndios em autocarros ocorre no compartimento do motor. “Tal foi o que aconteceu em cerca de 80% dos casos”, registam os especialistas da DEKRA. “Apenas um número muito reduzido dos autocarros em questão estava já equipado com sistemas de deteção e alarme de incêndios ou até de extinção de incêndios. As nossas análises mostram que, na grande maioria dos casos, tais sistemas teriam sido acionados. Existe, sem margem de dúvida, potencial para garantir ainda mais segurança através da instalação entretanto exigida. Se o incêndio for detetado com antecedência, o motorista tem mais tempo para parar num local adequado e deixar os passageiros saírem aí para o exterior.”

Sistemas de segurança eletrónicos ajudam a evitar acidentes

Uma vez que a maioria dos incêndios em autocarros com feridos graves ou vítimas mortais ocorre no seguimento de um acidente, a prevenção de acidentes assume uma grande importância. “Sobretudo assistentes de travagem de emergência e sistemas de aviso de afastamento da faixa de rodagem continuamente melhorados oferecem um grande potencial neste ponto”, refere Markus Egelhaaf. “Além disso, consideramos também pertinente que os fabricantes de autocarros dêem ainda mais atenção durante a construção a evitar o mais possível a combinação de combustível derramado e uma fonte de ignição efetiva mesmo em caso de acidente.”

Por último, a formação dos motoristas também é muito importante na opinião dos investigadores de acidentes. “Estes têm de ter uma formação ideal, sabendo como detetar um incêndio ou como agir corretamente quando o sistema de deteção e alarme de incêndios no compartimento do motor é acionado. A formação no manuseamento de extintores de incêndio também tem de ser realizada regularmente.” É igualmente importante preparar melhor os passageiros para situações de emergência e ganhar, assim, tempo valioso num momento de emergência. Na perspetiva dos investigadores de acidentes da DEKRA, existe ainda potencial de otimização com as saídas de emergência para uma rápida evacuação dos autocarros.

Partilhar página