O seu navegador está desatualizado.

O Internet Explorer deixou de ser suportado. Por favor, utilize outro navegador, para uma melhor qualidade do website.

As férias numa casa móvel têm de ser bem preparadas

jun 2022

notícias e ações

Wohnmobil

A casa sobre rodas tem um peso significativamente superior ao do automóvel habitual, é mais comprida, mais larga e mais alta e implica um comportamento de condução diferente. "Em viagem, isso pode originar erros de avaliação e a situações críticas", adverte Luigi Ancona investigador de acidentes na DEKRA. "Devido às maiores dimensões do veículo, deve-se prestar especial atenção, sobretudo, durante as manobras. É recomendável fazer as curvas por fora quando estas são mais apertadas", afirma o especialista: "Um condutor de autocaravana também deve ter presente a altura do próprio veículo e prestar atenção às indicações de altura, para que as passagens inferiores, pontes ou entradas em parques de estacionamento cobertos não se tornem uma armadilha."

Em particular, os condutores ocasionais de autocaravanas devem familiarizar-se bem com o veículo antes de partirem em viagem e, se possível, devem participar num curso de condução defensiva especial. Entre outros, os condutores e condutoras têm de se preparar para uma maior distância de travagem do que num automóvel. Também o centro de gravidade mais alto que obriga a velocidades mais reduzidas nas curvas e que dificulta manobras evasivas rápidas, requer o seu tempo de habituação. Devido à menor capacidade de aceleração das autocaravanas, o especialista desaconselha as ultrapassagens em estradas nacionais de uma faixa para cada lado.

As autocaravanas também oferecem grandes áreas de exposição ao vento lateral. Basta uma rajada vigorosa numa posição exposta ou a súbita alteração das condições de vento, durante uma ultrapassagem, para forçar a autocaravana para fora da sua faixa de rodagem. "Se o vento soprar de lado, o que se tem de fazer é segurar bem o volante, reduzir a velocidade e travar suavemente. Regra geral, ambas as mãos devem estar sempre no volante", recomenda Ancona.

Também os percursos íngremes são frequentemente traiçoeiros. Nas subidas de montanha, é aconselhável engatar prematuramente uma velocidade mais baixa. Nas descidas, deve-se engatar uma velocidade mais baixa e travar com o motor para proteger os travões e nos veículos com caixa de velocidades automática deve-se fazer uso do modo manual. Se o efeito de travagem diminuir devido a sobreaquecimento dos travões, deve-se fazer imediatamente uma pausa. Em certas circunstâncias, é aconselhável evitar trajetos com inclinações acentuadas. Se o veículo estiver equipado com um assistente à condução em descidas, é imprescindível ler o manual de instruções e ficar a conhecer as particularidades do respetivo sistema antes do início da viagem.

Partilhar página