É necessário impulsionar o desenvolvimento de sistemas de segurança

fev 2019

Mann am Steuer ohne Hände am Lenkrad

Vários países em todo o mundo avançam a alta velocidade no sentido de trazerem para o mercado uma mobilidade conectada e automatizada. “A União Europeia tem de reagir muito mais rapidamente aos desenvolvimentos neste setor”, foi esta a exigência dos eurodeputados numa resolução não vinculativa, a qual foi adotada por uma ampla maioria. Os eurodeputados aplaudem a mensagem da Comissão Europeia intitulada "Para uma mobilidade automatizada", considerando-a um importante marco na estratégia da União Europeia com vista a uma mobilidade conectada e automatizada. No entanto, salientam que são necessários esforços adicionais para garantir meios suficientes para apoiar o setor e regras adequadas de segurança e responsabilidade.

Ao mesmo tempo, incentivam a Comissão Europeia e os Estados-Membros a manterem o seu papel de liderança na harmonização internacional e técnica dos veículos automatizados no âmbito da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE) e da Convenção de Viena. Os eurodeputados solicitam ainda o desenvolvimento de sistemas de segurança que possam garantir a coexistência de veículos automatizados e veículos que não estejam conectados nem automatizados. Além disso, as regras da União Europeia existentes em matéria de responsabilidade devem continuar a ser desenvolvidas. Especialmente no caso de veículos operados por software, surge a pergunta sobre quem é responsável pelos acidentes: o condutor ou o fabricante?

Os deputados acreditam também que a investigação deve centrar-se nos efeitos a longo prazo do transporte autónomo. Temas como a adaptação ao consumidor, aceitação social, reações fisiológicas, reações físicas e prevenção de acidentes devem estar no centro das atenções. “A Europa deve ser inovadora, porém, mais rápida. A China e os EUA não esperam”, afirma o relator Wim Van de Camp, do Partido Popular Europeu.

Partilhar página