Estratégia de segurança rodoviária para 2020 e acidentes na Austrália do Sul

jun 2017

Acidentes

Também a Austrália do Sul adotou a "Visão Zero" como motivação orientadora para o seu trabalho em matéria de segurança rodoviária: "Towards Zero Together" é o nome do programa atual. No estado com a área metropolitana de Adelaide vivem cerca de 1,7 milhões de habitantes. Até 2020, pretende- se que o número de mortes em acidentes rodoviários não exceda, por ano, as 80 (4,5 por cada 100 000 habitantes) e que o número de feridos graves seja, no máximo, 800 (45 por cada 100 000 habitantes).

No folheto da estratégia de segurança rodoviária sul australiana para 2020, são publicadas as evoluções dos números anuais de mortos e feridos graves em acidentes rodoviários, para o período de 1981 a 2010. Para compensar as oscilações dos números absoluta e verdadeiramente reduzidos, compilam-se respetivamente três anos nas avaliações de alterações. Entre 1981 e 1983 morreram, em média, 252 vítimas de acidentes rodoviários e registaram- se 3104 feridos graves. No período de 2008 a 2010, registouse uma média de 112 mortos e 1126 feridos graves. O número de mortes desceu, por conseguinte, 56% em 30 anos, e o número de feridos graves 64%. Outras reduções dos números absolutos para 80 mortes ou 800 feridos graves até 2020 correspondem a decréscimos relativos de aprox. 30%.

A estratégia sul australiana para 2020 é apoiada por planos de ação e medidas de priorização. Para o efeito, os sistemas de transporte rodoviários têm de ser concebidos de forma mais tolerante ao erro e cada utente da estrada tem de estar ainda mais consciente da sua responsabilidade no trânsito rodoviário. Considerando a estatística de acidentes, o programa de segurança rodoviária sul australiano dirige-se sobretudo aos grupos de risco, como é o caso dos aborígenes, dos seniores com mais de 70 anos, dos jovens entre os 16 e os 24 anos, ciclistas, peões, motociclistas, condutores de veículos pesados para o transporte de mercadorias e condutores alcoolizados. Por um lado, em comparação com a Europa e com os EUA, verifica-se, na Austrália, um total de acidentes rodoviários graves e das respetivas vítimas significativamente inferior.

Por outro lado, os pontos centrais na ocorrência dos acidentes e os grupos de risco identificados são, em parte, muito semelhantes. Faz por isso sentido partilhar informações ao nível mundial sobre possíveis medidas e os respetivos efeitos, por forma a aprender a partir de experiências já feitas, a aconselhar- se mutuamente e a implementar localmente os resultados no próprio campo de atuação com conhecimentos prévios ainda mais sólidos.

Partilhar página