Forte limitação da capacidade devido à fadiga

abr 2018

notícias e ações

Um grande perigo para a circulação rodoviária sempre foi a fadiga, ou sonolência, também definida como "fadiga associada ao sono". No entanto, em termos de dados, este perigo é difícil de detetar, visto que não existe um teste respiratório ou ao sangue que a polícia possa realizar, por exemplo, tal como no caso de suspeitas de consumo de álcool ou drogas. Assim, a fadiga é frequentemente subestimada como causa de acidente nas estatísticas, motivo pelo qual se pode esperar um número elevado de casos não relatados.

O facto é: a fadiga e a sonolência têm uma grande influência na capacidade de um condutor. "A fadiga e a sonolência prejudicam em grande medida a atenção, concentração e o tempo de reação e ocorrem erros de avaliação, por exemplo, em termos de velocidade ou distância", afirma a psicóloga especializada na área de transportes, Dra. Karin Müller, da DEKRA Automobil GmbH. Outro risco na condução de veículos motorizados por condutores fatigados é a sonolência súbita, que pode ocorrer sobretudo em trajetos longos e monótonos. Em apenas alguns segundos, um veículo pode percorrer vários metros, dependendo da velocidade. Neste período de tempo, existe não só o perigo de o condutor perder o controlo do seu veículo, como também de sair da faixa de rodagem. Também pode não se aperceber dos outros veículos existentes na estrada nem prestar atenção aos mesmos.

A fadiga tem várias causas. Além da privação de sono devido a circunstâncias externas, as causas também incluem o trabalho por turnos, medicação ou abuso de álcool ou drogas. Os trabalhadores por turnos lutam muitas vezes contra a fadiga e sonolência diurna. Outra causa de sonolência diurna são distúrbios do sono e distúrbios respiratórios durante o sono, tais como a apneia do sono. "Se uma pessoa tiver sido diagnosticada com uma forma de distúrbio do sono, é importante que o médico indique que esse distúrbio tem como consequência uma possível limitação da sua capacidade em conduzir um veículo pesado", afirma Karin Müller.

Em primeiro lugar, é necessário evitar o mais possível um estado de fadiga durante a condução de veículos motorizados. Antes do início da viagem, é necessário dormir e descansar suficientemente. Além disso, é recomendável planear pausas suficientes durante a condução. A atividade física aumenta o teor de oxigênio no sangue e no cérebro, ajudando a combater a fadiga. "Caso sinta as suas pálpebras mais pesadas e uma perda de concentração, pare o mais rapidamente possível. Nesses casos, uma curta pausa para descanso com uma pequena sesta ("power nap") pode combater o risco de acidentes relacionados com a fadiga", aconselha Karin Müller. Adicionalmente, os condutores que precisam de tomar medicação periodicamente devem consultar o seu médico para saber se o consumo desses medicamentos causa fadiga. O consumo de drogas ou álcool pode influenciar a capacidade e provocar fadiga, até mesmo no dia seguinte!

Partilhar página