Intensificar as medidas de construção e de manutenção

jun 2018

Infraestructura

Quando se trata da otimização das infraestruturas, não deve ser esquecida uma questão: o estado das estradas, pontes e túneis. Neste contexto, aspetos como o estado da superfície da estrada, a previsibilidade da superfície da estrada, a perceptibilidade da faixa de rodagem, a conceção das bermas, as marcações da faixa de rodagem, a conceção das áreas de cruzamento e de entroncamento, a criação de opções evasivas e de ultrapassagem e, especialmente, o estado geral das pontes, desempenham um papel importante.

Em novembro de 2008, a União Europeia publicou a “Diretiva 2008/96/CE sobre a gestão da segurança da infraestrutura rodoviária”. A Comissão Europeia considera as infraestruturas como uma parte essencial da sua política de melhoria da segurança rodoviária. Não se trata apenas de novos projetos de construção, mas em particular do aumento direcionado do nível de segurança nas estradas existentes. Naturalmente, não é possível reconstruir nenhuma estrada em mau estado nem renová-la a partir do zero. Contudo, se todas as medidas de construção e de manutenção forem planeadas, classificadas por prioridade e executadas para alcançar o mais alto grau possível de segurança, pode esperar- se um aumento significativo na segurança.

Como uma grande fraqueza da rede rodoviária, também na Alemanha, incluem-se, por exemplo, as pontes. Um problema aqui é a fadiga do material, que, por um lado, se deve à antiguidade desproporcionalmente elevada das estruturas e, por outro lado, ao tráfego fortemente crescente desde há anos. Em particular, o enorme aumento no transporte de mercadorias pesadas está a provocar problemas nas pontes. Por estes motivos, no contexto de medidas para melhorar a infraestrutura rodoviária, as inspeções de construção exigidas pela DIN 1076 não podem ser negligenciadas no futuro. A perspetiva do perito regular ajuda a identificar as deficiências estruturais numa fase inicial e a resolvê-las, sendo, portanto, também um elemento importante para aumentar a segurança rodoviária.

Falta de segurança em estradas nacionais

Além das autoestradas, as estradas nacionais também constituem pontos negros de acidentes de veículos utilitários. Especialmente em faixas de rodagem estreitas, às vezes é perigosamente apertado. Caso um veículo saia da faixa de rodagem, na direção da berma da estrada, em muitos casos, a natureza da berma da estrada e da faixa de borda é decisiva para a capacidade de manobra adicional do veículo. Caso não exista berma da estrada, as rodas saem imediatamente da faixa de rodagem, após passar a linha contínua. Os coeficientes de atrito alteram-se, quando aplicável, existindo também uma diferença de nível entre a superfície da faixa de rodagem e, em muitos casos, uma faixa de borda mais profunda. Um retorno à faixa de rodagem é, assim, muito mais difícil. Existe um risco elevado de que condutores inexperientes acelerem com muita potência para superar a diferença de nível – assim que o veículo regressa à faixa de rodagem novamente, há uma mudança abrupta de direção para o lado do tráfego que se aproxima e, além disso, o risco de derrapagem é muito grande. Sempre que seja espacialmente possível, deve haver uma largura de berma de estrada adaptada ao nível de velocidade e à orientação da faixa de rodagem. A faixa de borda adjacente deve ser levada ao nível da estrada e fixada de tal forma que permaneça no mesmo nível, mesmo após chuvas prolongadas e derrapagens de veículos pesados de mercadorias.

O número de lugares de estacionamento para veículos pesados de mercadorias deve aumentar

Um risco que não deve ser subestimado para a segurança rodoviária é o problema do estacionamento nas autoestradas. Embora tenham vindo a ser construídos pelos governos federal e estadual novos parques de estacionamentos para veículos pesados de mercadorias desde há anos, o défice até agora não foi compensado devido ao aumento do volume de transporte de mercadorias. Segundo os peritos, só nas autoestradas alemãs faltam milhares de lugares de estacionamento para veículos pesados – de acordo com cálculos da Agência Federal dos Transportes, a escassez atingirá 26 000 em 2030.

Os períodos de condução e descanso são, entre outros, um dos principais problemas neste contexto. Os condutores de veículos pesados de mercadorias geralmente são obrigados a cumpri-los, caso contrário, correm o risco de sofrer multas severas. Devido à falta de lugares de estacionamento, os condutores de veículos pesados de mercadorias estacionam geralmente os seus veículos em entradas e saídas de estações de serviço e de abastecimento de combustível, bem como em faixas de emergência, para evitar violações do período de condução. Isto acarreta um risco elevado de acidentes, porque muitas vezes os veículos pesados de mercadorias ficam mal protegidos e dificilmente identificáveis, devido ao contraste fraco à noite para outros utentes da estrada. Os acidentes fatais resultantes aumentaram constantemente nos últimos anos, de acordo com a Associação Alemã de Terminais Rodoviários (VEDA). Até 2016, verificou-se uma média de um condutor morto em três anos, em 2016 morreram quatro condutores e no primeiro semestre de 2017, morreram seis condutores. Para criar soluções, foi introduzido, por exemplo, um sistema de estacionamento inteligente na área de serviço da autoestrada de Montabaur. É sinalizado aos condutores de veículos pesados de mercadorias, através de um ecrã na área de serviço, se ainda há lugares de estacionamento disponíveis. Os lugares de estacionamento são então atribuídos pelo sistema de computador aos condutores.

A atribuição ocorre aqui de acordo com a hora de partida – quem tiver de sair mais cedo de manhã, fica mais à frente. Desta forma, os veículos pesados de mercadorias podem ficar estacionados em colunas e os escassos lugares de estacionamento podem ser utilizados de forma mais otimizada. Em alternativa a esta solução, de acordo com a VEDA, também a potencial “proximidade” da autoestrada poderia ser tomada em consideração.

O legislador também poderia intervir neste tópico. Até à data, as multas para a ultrapassagem do período de condução são significativamente mais severas do que para o estacionamento proibido. Um ajustamento poderia impedir alguns condutores de estacionar os seus veículos em locais críticos. No entanto, isto apenas levaria a um adiamento do problema, porque os condutores de veículos pesados de mercadorias teriam que continuar até encontrar um lugar de estacionamento livre. Contudo, os condutores fatigados podem aumentar novamente o risco de acidentes.

Além da falta de lugares de estacionamento, os condutores de veículos pesados de mercadorias são obrigados a enfrentar cada vez mais o crime organizado. Em especial, em locais de estacionamentos inseguros, ocorre cada vez mais o roubo de carga. Alguns terminais rodoviários enfrentaram este problema e, com o conceito “Estacionamento Premium” já disponibilizam as primeiras “ilhas de segurança”, existindo já, desde então, 20 em toda a Alemanha. Nos Países Baixos, num projeto, os parques de estacionamento ao longo de duas autoestradas são monitorizados através de um centro de controlo central. Caso algum veículo conduza de um parque de estacionamento para outro, despertando assim suspeitas, o centro de controlo pode enviar uma patrulha da polícia ao local. As áreas de estacionamento monitorizado também se encontrem disponíveis na Bélgica, Inglaterra, França e Espanha.

Partilhar página