Mais segurança para as crianças na circulação rodoviária

mai 2019

notícias e ações

Editorial Relatório de segurança rodoviária 2019

Schüler Fahrrad Verkehrssicherheit

Berkeley, Rouen, Bristol, Trier, Vicenza, Darwin: o que há de comum entre estas cidades é o número mais ou menos semelhante de cerca de 110 000 habitantes. Poderíamos agora perguntar o que tem esta constatação a ver com um relatório de segurança rodoviária. A resposta é a seguinte: uma cidade desta dimensão ficaria deserta de um ano para o outro caso fosse habitada somente por crianças com menos de 15 anos de idade. Isto porque, segundo dados do Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) da University of Washington em Seattle, em 2017, quase 112 000 utentes da estrada desta faixa etária perderam a vida. A gravidade por detrás desta triste realidade torna-se mais evidente com o exemplo ilustrativo de uma cidade. Por conseguinte, as crianças com menos de 15 anos estão deliberadamente em foco no relatório de segurança rodoviária da DEKRA deste ano.

Considerando que, em 2017, em toda a UE, “apenas” 593 e, nos EUA, no ano de 2016 – ainda não existem dados para 2017 –, 1233 crianças com menos de 15 anos perderam a sua vida em acidentes rodoviários, podemos deduzir em que partes do mundo este problema é mais grave: essencialmente em África e na Ásia. Segundo o IHME, quase 85 % das vítimas mortais em acidentes rodoviários com menos de 15 anos provêm de países com um nível de rendimentos baixo a médio. Apesar disso, a longo prazo, a evolução é bastante positiva. Afinal, em 1990, segundo dados do IHME, registaram-se cerca de 223 500 vítimas mortais entre os utentes da estrada com menos de 15 anos de idade, ou seja, o dobro das registadas em 2017. Contudo, não há qualquer motivo para ficarmos tranquilos, pois cada criança vítima de um acidente na estrada é sempre uma vítima a mais.

Neste contexto, é francamente alarmante o número provisório de acidentes na Alemanha para 2018. De acordo com as estimativas do Serviço Federal de Estatística, no ano passado, 79 crianças com menos de 15 anos perderam a vida em acidentes rodoviários nas estradas alemãs. Isto representa um aumento de, imagine-se, quase 30 % relativamente ao ano anterior, no qual se registaram 61 vítimas mortais. Teremos de analisar muito atentamente como ocorreu este dramático aumento. É claro que esta faixa etária, juntamente com os jovens entre 15 e 18 anos de idade, constitui a menor parte de todas as presumíveis 3270 mortes na estrada na Alemanha no ano de 2018. No entanto, em 2018, na Alemanha, nenhuma outra faixa etária registou um aumento percentual tão elevado. Em comparação: em França, segundo dados do Observatoire national interministériel de sécurité routière, os números provisórios relativos a vítimas mortais em 2018 entre crianças e jovens até aos 17 anos mostram uma redução de quase 7,5 % em relação a 2017.

Eng.º Clemens Klinke, membro do Conselho de Administração da DEKRA SE
Eng.º Clemens Klinke, membro do Conselho de Administração da DEKRA SE

O facto de, todos os dias, mais de 300 crianças com menos de 15 anos perderem a vida em acidentes rodoviários nas estradas do mundo tem diversas causas. A falta de experiência, a má avaliação dos riscos e a desatenção por parte das crianças são fatores tão importantes como o cuidado insuficiente, a velocidade excessiva e a distração por parte dos restantes utentes da estrada, só para citar alguns exemplos. O presente relatório indica com que medidas se pode contrariar de forma eficaz esta tendência nas áreas temáticas Fator humano, Tecnologia automóvel e Infraestrutura, de modo a aumentar de forma sustentável a segurança rodoviária das crianças de idade inferior a 15 anos. E, como sempre, o relatório deve criar um efeito catalisador e ser um guia para políticos, especialistas em circulação rodoviária, fabricantes e associações, assim como para todos os utentes da estrada. O suplemento para crianças fornecido juntamente com o relatório evidencia o quão importante é, também para nós na DEKRA, a segurança dos utentes da estrada mais jovens.

Partilhar página