Melhor equipamento dos veículos para prevenir acidentes

abr 2019

notícias e ações

biker

Com uma média de 49 mortes na estrada por milhão de habitantes, comparativamente a 174 mortes por milhão de habitantes a nível mundial, as estradas da UE são as mais seguras do mundo. No ano de 2018, registaram-se na UE cerca de 25 100 mortes em acidentes rodoviários. Calcula-se que, a cada morte nas estradas da UE no ano passado, acresçam cinco vezes mais feridos graves (cerca de 135 000), de acordo com os dados provisórios da Comissão.

Em termos globais, o número de mortes nas estradas da UE diminuiu para menos de metade nas últimas duas décadas. No entanto, os dados mais recentes mostram que a redução da taxa de mortalidade estagnou e que são necessários esforços adicionais para melhorar a segurança rodoviária e salvar vidas. Por conseguinte, a partir de maio de 2022, tornam-se obrigatórios vários sistemas de assistência ao condutor em veículos novos. Esta medida foi adotada pela UE em abril de 2019.

Os sistemas de assistência ao condutor que têm de ser instalados em todos os veículos novos incluem: assistente de velocidade inteligente, dispositivo para instalação de um imobilizador de arranque sensível ao álcool, sistema de alerta em caso de fadiga e falta de atenção do condutor, sistema de alerta em caso de diminuição da concentração do condutor, sinal de travagem de emergência, assistente de marcha-atrás e recolha de dados de eventos ("caixa negra"). O assistente de velocidade inteligente poderia, segundo estimativas, reduzir o número de mortes nas estradas da UE em 20 por cento.

Para veículos ligeiros de passageiros e veículos comerciais ligeiros, será também obrigatória a instalação de um sistema avançado de travagem de emergência (já exigido para veículos pesados de mercadorias e autocarros), assim como um sistema de aviso de afastamento da faixa de rodagem de emergência. A maioria destas tecnologias e sistemas deve tornar-se obrigatória, a partir de maio de 2022, para modelos novos e, a partir de maio de 2024, para os modelos existentes.

Além disso, os fabricantes de veículos pesados de mercadorias e autocarros devem, no futuro, construir os veículos ou equipá-los com funcionalidades avançadas, de modo a possibilitar, do lugar do condutor, uma melhor visão direta de utentes da estrada desprotegidos como peões e ciclistas, reduzindo ao máximo os ângulos mortos à frente e ao lado do condutor. A tecnologia de visão direta deve ser instalada, a partir de novembro de 2025, em modelos de veículos novos e, a partir de novembro de 2028, nos modelos existentes.

Partilhar página