Projeto-piloto para assistência de emergência na China

jun 2017

Infraestructura

A República Popular da China pretende criar um modelo de serviços de resgate de acordo com o exemplo alemão. Para o efeito, a Fundação Björn Steiger foi encarregada, em junho de 2016, de criar na cidade de Jieyang (7,5 milhões de habitantes), na província de Guangdong no sul da China, um projeto-piloto para um sistema de serviços de resgate integrado, que vai desde a central de chamadas de emergência até ao helicóptero de resgate. O projeto funciona como um projeto-modelo para a criação de um sistema de emergência nacional "Made in Germany", em terra e no ar. O objetivo é alcançar 95% de todos os casos de emergência médica num período de 15 minutos.

Inúmeras empresas alemãs e europeias, tais como a Airbus Helicopter, a Ford, a Mercedes-Benz, a Bosch Sicherheitssysteme, a Deutsche Telekom e a Dräger Werke estão envolvidas na criação do sistema de regaste integrado, sob liderança da Fundação Björn Steiger. Paralelamente às ambulâncias, aos helicópteros de resgate, aos centros de coordenação das operações de resgate e ao equipamento médico de ponta, também a formação especializada do pessoal necessário faz parte do programa. A Fundação aposta, por isso, na formação dos controladores dos centros de coordenação e dos socorristas, na qualificação de médicos como paramédicos de emergência, na formação dos pilotos, bem como na formação dos bombeiros, no âmbito do resgate técnico. Os custos do projeto para a primeira fase de implementação no centro da cidade de Jieyang para 550 000 habitantes ascendem, até finais de 2017, a quase 43 milhões de euros. Com uma evolução positiva do projeto-piloto, pretende-se ampliar, até 2028, os serviços de resgate a toda a Província de Guangdong, com cerca de 125 milhões de habitantes. Igualmente possível é o alargamento gradual também a outras províncias.

Partilhar página