Teste de colisão - Placa orientadora de curva

set 2017

Exemplos de acidentes

Testes de colisão:
Testou-se o embate de cada um dos motociclos contra dois sistemas de placas orientadoras de curva diferentes, a 60 km/h. Em ambos os casos, o boneco do teste de colisão Hybrid III utilizado como ocupante tinha vestuário de proteção completo. No primeiro teste, o ocupante colidiu, tal como no exemplo do acidente anterior, com um poste convencional de uma placa orientadora em aço; no segundo teste, o embate foi num poste delineador com uma placa orientadora em plástico. Os postes delineadores mais comuns na Alemanha são produzidos em plástico. Os utilizados no teste dispunham de um suporte de corte convencional, com o qual estão ligados ao fundamento do piso. Em caso de colisão, o poste solta-se do suporte sem originar grandes danos materiais ou pessoais. Em regra, o poste pode ser inserido novamente e reutilizado após uma colisão.

Veículo:
Motociclo

Resultados do teste de colisão:
Poste de aço: os valores de carga medidos ficaram muito acima dos valores limite biomecânicos. Os ombros e a zona do peito, bem como a cabeça, foram submetidos a uma carga muito elevada. Uma pessoa não conseguiria sobreviver a uma colisão desta dimensão.

Poste de plástico: todos os valores medidos permaneceram numa zona não crítica, muito abaixo dos valores limite biomecânicos. Sem uma colisão subsequente, por exemplo contra uma árvore, a probabilidade de sobrevivência a um acidente desta natureza seria muito elevada.

Abordagem às medidas de segurança rodoviárias:
Uma concepção das bermas orientada para a segurança tem de ser um elemento essencial do planeamento e da manutenção das estradas.

Novos conceitos promissores para a segurança rodoviária têm de poder ser testados sem grandes obstáculos burocráticos.

Partilhar página